QUANTO DE CRISTO EXISTE EM VOCÊ?

Há uma tendência, principalmente, entre os jovens de identificar o quanto de Cristo existe em alguém tendo como parâmetros as boas obras dessa pessoa. O grande problema é que a maioria das ideias de “verdadeiro cristão” provém de expectativas frustradas. Vêm de decepções com relação a alguém que se diz cristão e não toma uma atitude piedosa para com outra pessoa ou para consigo mesmo. Sabemos que algo na forma como o evangelho está sendo pregado está errado. Mas, sinto que não estamos sabendo lidar com isso.

Constantemente, presenciamos situações que nos deixam perplexos dentro das igrejas. Situações que revelam uma religiosidade cega, uma fé sem obras, uma fé morta. É difícil lidar com estas frustrações. Todavia, mais difícil ainda é entender qual o motivo que leva a nos frustrarmos tantas vezes com as pessoas que se dizem cristãs. Por que nos decepcionamos tanto? Nossas frustrações estão ligadas ao fato de sempre depositarmos nossa confiança nos outros e em nós mesmos. Quando as pessoas falham, então buscamos incorporar ao máximo o estilo de vida cristão que imaginamos. Mas, nós falhamos também.

Muitas vezes lemos nas cartas de Paulo exortações ao amor fraternal e à humildade nas igrejas. Na carta aos Filipenses, no capítulo 2, Paulo os aconselha a serem “unidos de alma, tendo o mesmo sentimento”, nada fazendo por “partidarismo ou vanglória, mas por humildade, considerando cada um os outros superiores a si mesmo”. Um cristão deve agir assim para com os outros. Mas, antes de tudo o cristão deve ter fé em Jesus Cristo e temor a Deus. É inútil procurar seguir o que Paulo ordenou às igrejas se a nossa intenção não for “desenvolver a nossa salvação com temor e tremor”, pois Deus é quem efetua em nós tanto o querer como o realizar. Devemos amar o nosso próximo porque amamos a Ele. Devemos perdoar os nossos falhos irmãos porque confiamos no poder de Deus para mudar nosso caráter.

Ser cristão não é ser bem visto pelas boas obras que praticamos. O cristão reconhece seus maus caminhos e confia em Deus para salvá-lo de si mesmo. Então, os frutos virão despidos de vanglória e partidarismo a medida que o Senhor aproximar nossos corações da sua santa vontade.

Sterphane Castro

Sterphane Castro

Nada do que eu disser poderá me resumir em minha inconstância. Um sopro, uma onda, obra-prima totalmente dependente de Deus.
Sterphane Castro

Últimos posts por Sterphane Castro (exibir todos)