Vai limpa, igual a Jesus!

Eu já tenho o costume de pregar em igrejas da minha cidade e região. Mas um dia, eu recebi um convite para ir pregar no Centro de Integração do Adolescente Masculino, é nesse local em que ficam os menores que cometem atos infracionais. Marquei com a pessoa que me convidou e contei para poucas pessoas, para evitar especulações, devido o público que eu iria encontrar (não contei para a minha mãe senão ela não ia deixar), aliás, eu não estava criando ideias sobre eles.

Uma das pessoas para quem eu contei é uma amiga muito próxima, nos conhecemos na universidade e ela é minha xará. Contei que ainda não tinha elaborado o sermão, mas queria levar uma mensagem de consolo em que eu não fizesse um tipo de julgamento da vida deles. E então ela disse: Vai limpa, igual Jesus.

Então o dia chegou, foi hoje. Acordei cedo, me arrumei. Preparei um hino para eles refletirem: Eu amo você, de Daniel Lüdtke (https://www.youtube.com/watch?v=xCbGsYfGdlQ). Cheguei lá com os irmãos e irmãs da igreja (8 pessoas no total), passei pelo primeiro portão, deixei objetos pessoais e documento na recepção. Depois passei por mais dois portões, estava tudo calmo até o momento, seguia os irmãos que iam a frente e sempre pensando no que a minha amiga tinha falado: “vai limpa, igual a Jesus”. Até que cheguei a ala em que os jovens estavam.

E então, eu chorei, hoje eu chorei tanto que minha cabeça ainda está doendo. Não chorei por pena deles, mas por ver o quanto somos hipócritas, sou uma jovem universitária e lembro que um pastor falou:  muitos jovens estão na universidade e só veem como um lugar de ascensão social, são cristãos que não dão provas de sua fé, é como use vissem a universidade apenas como um lugar com chances de melhoria de vida. Muitas vezes o objetivo é só esse, comprar um carro próprio e ter uma casa elegante, luxuosa, e aí reforçar a casa com um sistema de segurança pra evitar que o ladrão entre. Mas eu não faço nada para intervir na sociedade, para evitar que a criminalidade se multiplique, eu não faço nada para ajudar esses adolescentes porque mesmo sendo cristã estou apenas seguindo o ritmo da sociedade umbiguista, que só olha para as suas próprias necessidades. Foi por aqueles jovens que Jesus deu a vida. Quem sou eu para julgá-los? O que estou fazendo para ajudá-los? Saia do comodismo! Vai limpo(a), igual a Jesus! Faça algo.

Antes de vir embora, um deles me chamou e me deu essa pulseira que está na foto, eu vou guardá-la, e sempre lembrar que Jesus me chamou para fazer a diferença. Não sei a mensagem que eu passei hoje foi capaz de fazer a diferença na vida deles, só sei que pra minha vida, essa visita fez toda diferença.

Tamires dos Santos

Tamires dos Santos

Quando olho para cruz me pergunto se tenho algum motivo para não amá-lo. Não sou merecedora, mas a Sua graça me alcança.
Tamires dos Santos

Últimos posts por Tamires dos Santos (exibir todos)